Como investir na crise?

Como investir na crise

Quando há instabilidade no mercado, os investidores acabam ficando inseguros sobre como agir nesse momento, afinal, um passo errado pode ser desastroso e causar a desvalorização do seu dinheiro. Mas, mesmo em tempos de crise é possível fazer bons negócios.

E neste artigo vamos lhe ajudar a traçar sua estratégia para os períodos de crise, a fim de que você possa continuar fazendo o seu dinheiro ter um bom rendimento, aplicando-o do jeito certo. Continue lendo e saiba como fazer isso.

Saiba exatamente o que quer fazer com seu dinheiro

Antes de investir em uma aplicação é preciso que você saiba exatamente o que quer fazer com seu dinheiro. Sua intenção é viver de renda? Você quer valorização do seu patrimônio? Deseja planejar o futuro?

Essas questões são determinantes porque de acordo com aquilo que se pretenda, essa ou aquele forma de investimento é a mais indicada, em razão da forma como ela rende, ou seja, com base na SELIC, em DI, na inflação, ou outros.

Compare os preços das taxas administrativas

Outro fator importante é comparar os preços das administradoras de fundos, para que você não acabe perdendo dinheiro com valores altos demais. Analise as opções e escolha aquela que seja mais justa.

A seguir você pode ver quais são os tipos de investimento mais indicados para cada caso. Lembre-se que em temos de crise é preciso tomar atitudes com segurança, e por isso, antes de aplicar o seu dinheiro analise muito bem aquilo que você pretende, faça a escolha da melhor administradora e então, aposte na aplicação que vai atender ao que você precisa.

Fundos DI – protegem em curto prazo

Os fundos DI não sofrem oscilações, geram liquidez imediata e são seguros. Mas apena há vantagem neles se as taxas forem menores do que 1% ao ano. O rendimento pode ser resgatado em curto prazo, o que possibilita ao investidor evitar danos em sua carteira caso as dificuldades do governo aumentem ou persistam.

Fundos IPCA – ajudam a driblar a inflação

Esse é um investimento para quem deseja rendimento em médio e longo prazo. Isso porque ele oferece prêmios maiores quando o valor fica aplicado por mais tempo. Porém, títulos com prazos longos demais podem sofrer oscilações, e ainda é preciso estar atento à corretora, pois algumas cobram taxas adicionais de corretagem.

Tesouro SELIC – valoriza o patrimônio

As taxas são altas para esse tipo de investimento, e por isso ele é o ideal para quem deseja valorizar o seu patrimônio. As vantagens estão em curto prazo e também em médio e longo prazo. Mas para esses dois últimos é preciso fazer investimentos mais solicitados, como ações em exportação, fundos cambiais e ativos internacionais.

CDB, LCI e LCA – favorecem o planejamento do futuro

O rendimento líquido dessas aplicações geralmente fica acima de 1% ao mês, e são ótimas opções para quem deseja planejar em médio e longo prazo, além de fazer reservas financeiras. Esses são títulos de renda fixa, seguros porque estão dentro do FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

Agindo com cautela, depois de analisar as opções e seguro do que está sendo feito, você pode ganhar dinheiro e fazer o seu patrimônio render mesmo em tempos de crise. Somente é preciso adotar a estratégia certa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *